terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Pequenos Escritores

A Menina e o Aviãozinho de papel

Narrador: Era uma vez uma menina que dormia e enquanto dormia ela dava asas ao mundo dos seus sonhos. A menina sabia que tinha de acordar, mas o seu corpo insistia em ficar preguiçoso e com sono.  A sua mãe que estava com pressa disse-lhe:

Mãe: Filha, sua preguiçosa, salta da cama para fora, faz uma careta ao espelho e pensa que hoje é o dia mais especial da tua vida!

Narrador: A menina num instante saiu da cama pois sabia que o seu dia iria ser especial. E assim foi brincar. Pegou numa folha de papel usada, dobrou a folha para cá, dobrou-a para lá, deu mais uma dobra aqui, mais uma dobrazita ali, e fez o seu aviãozinho que saiu a voar.

O mais incrível e mágico é que tudo o que o aviãozinho via a menina também fazia. Primeiro voaram com os braços abertos como uma coruja sem medo de cair. Pousaram no alto da montanha e observaram as formigas a caminhar pela terra.

Menina: É incrível como seres tão pequeninos e frágeis se tornam tão fortes. Elas são fortes porque conseguem trabalharem unidas!

Narrador: A seguir os dois amigos olharam para o alto de uma árvore e viram uma mãe pássaro a dar comida aos seus filhotes. Pegava uma minhoca e dava para um filhote, pegava outra minhoca e dava para o outro. Então a menina pensou:

Menina: A mamã também é muito meiga e cuidadosa. Obrigada mamã, gosto tanto de ti!!!

Narrador: Emocionada, os seus olhitos ficaram rasos de lágrimas. Mas a emoção não parou por ali. Ambos sentiram um movimento estranho nas suas costas.

Menina: Anda amiguinho, vamos correr daqui !!

Narrador: Na verdade tinham avistado um ser monstruoso que lhe fazia caretas assustadoras. Deram voltas e mais voltas, até que uma terrível ventania apareceu e eles começaram a dar cambalhotas no ar. Foram parar a uma ilha e viram uma tartaruga gigante que preguiçosamente tomava sol... Passaram por cima de uma pequena ponte e depois passaram por baixo dela.

Quando a tempestade acalmou foram cair perto de um riacho cheio de peixinhos coloridos. Foi, então, que o aviãozinho caiu na água e a menina nadou muito aflita para o salvar.

Menina: Espera amiguinho eu vou te salvar!! Não chores amiguinho, não chores!!

Narrador: quando os dois ficaram a salvo, o aviãozinho reparou numa flor que se encontrava no meio do rio.

Aviãozinho: olha que flor tão bonita. Vamos respirar com suavidade o seu perfume. É tão agradável, não é amiguinha?

Narrador: Depois de tantas aventuras a menina ficou com preguiça e deitou-se, colocando na sua barriga o seu amigo a descansar. Às vezes o aviãozinho assustava-se porque a barriga da menina se mexia muito, mas lentamente foi ficando mais e mais calma, até que a menina recordou a frase que tinha escutado da sua mãe:

- Hoje é o dia mais especial da tua vida!

A menina sorriu, tinha acabado de ter uma brilhante ideia!
Autores: Alunos  e Professora da AEC de Oficina e Escrita Criativa
 





















 

 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário